Como em todas as mensagens, contar histórias é fundamental. Um bom motion graphics tem uma narrativa convincente, com os elementos visuais a apoiar a história e a reforçar a mensagem.

Um mau motion graphics pode incluir quebras, lacunas, saltos, sequências confusas, mensagens confusas, dados desnecessários (que sobrecarregam o ecrã dificultando a absorção dos dados), muito texto, títulos que não correspondem aos dados de suporte e outras armadilhas que impedem a história a ser contada.

Para evitar esses problemas, peça às pessoas em quem confia para criticar os seus motion graphics durante o desenvolvimento. Se virem uma transição exagerada ou existirem partes confusas, edite ou refaça o trabalho de acordo com as opiniões. A chave é fazer isso mais cedo em vez de mais tarde: infográficos estáticos são fáceis de retrabalhar, mas gráficos com animação de acordo com o áudio são muito mais difíceis de mudar.

 

Como construir um bom motion graphic?

No final das contas, fazer um motion graphic é muito parecido com fazer um filme de animação que contém muitos infográficos simplificados. Por causa disso, as etapas para criar um ótimo motion graphic parecem-se muito com o processo de criação de um filme:

1. Comece com uma história Antes de começar qualquer motion graphic, precisa de decidir qual é a história que está a tentar contar. (E, claro, deve ter armazenados os dados de onde a história surgirá.)

2. Crie um guião – Ao contrário de um infográfico estático, que normalmente é utilizado para destacar pontos-chave de uma história com dados, os motion graphics concentram-se em ter uma conversa sobre toda ou (mais provavelmente) parte da história. Isso significa que precisa de saber onde a conversa começará e onde terminará.

3. Crie um storyboard – Uma vez que seu guião é delineado, a fase de design começa. Um storyboard é criado com base no guião com visuais apropriados projetados para fazer backup do que está a ser dito.

4. Uma palavra sobre duração – É tentador criar um motion graphic com as mesmas considerações de duração do vídeo ao vivo (por exemplo, 2-3 minutos parece fácil e exequível). No entanto, devido à natureza animada/baseada em slides dos motion graphics, uma produção muito mais curta geralmente é melhor. 2-3 minutos de animação é algo em torno de 45 slides de conteúdo.

Produção – Depois de todo o planeamento feito, é hora de criar o visual final, cortar o áudio e juntar tudo no produto final.

Lembre-se de não apressar este processo. Para que o produto final conte a história certa e reflita o profissionalismo da sua marca, é importante passar por cada uma dessas etapas e dedicar um tempo para fazê-las corretamente.